quarta-feira, 18 de junho de 2008

Nankim

Tinta do polvo
pintada de ouro
paciência oriental

Tinta preta
da impressão
no metal

Tinta do jornal
impressa
nas mãos

Tinta spray
mal disfarçada
nas unhas

Tinta que a madeira
recebe, bebe
e devolve: xilo

Tinta que une:
escutar, observar
executar, refazer

Ofício pesado,
fardo diário,
gira a roda:
refazer

Tinta, matéria
de vida e de morte
veículo de mutação

Como no inseto
casulo, casca,
cápsula, carapaça

Tinta, linguagem
refaz nosso mundo,
nos livra de enlouquecer.

Há professores que nos ensinam mais do que suas disciplinas,
mestres que fazem da vida a matéria de suas aulas.
Vivem com a gente a decepção e a perda
e também nossas descobertas e alegrias.
A todos os que se encaixam nesta descrição,
em especial aos arte-educadores, em geral grandes artistas...

2 comentários:

Alexandre G.Vilas Boas disse...

NÃO PRECISO DIZER O QUANTO O SEU BLOGGER É BELO E DELICADO, NÃO É?

Assim como quero aproveitar e agradecer o trabalho que voc~e enviou para nós, do coletivo 308, para o projeto do pássaro preto!
São lindos trabalhos!Lembram um pouco a caligrafia oriental, no que se refere ao "desenho" da letra!Obrigadão. Beijo.


Alexandre

Mary Flower disse...

Oi, Ale,

É bom saber que nos encontramos neste universo (real e virtual), onde trocamos figurinhas e impulsionamos uns aos outros.

Obrigada pela gentileza, você é um dos responsáveis pela existência deste 'brogue'.

Salve o Coletivo e todos os que resistem!

Beijo e queijo,
Mary